Conheça as proposta de Raimundo Violeira para Prefeitura de Viçosa

A Casa do Empresário, representante do setor empresarial de Viçosa, enviou um ofício aos candidatos à Prefeitura de Viçosa para ouvir suas propostas, especialmente as voltadas ao classe empresarial. O documento foi encaminhado aos 9 postulantes ao cargo executivo  com perguntas referentes a áreas de saúde, educação, economia e geração de empregos. 

Confira as respostas enviadas pelo candidato a Raimundo Violeira (PSD), e veja os principais planos para a gestão. 

 

1.Inicialmente, gostaríamos de saber quais são os planos e projetos para  contribuir com o desenvolvimento econômico de Viçosa? 

O desenvolvimento econômico de Viçosa passa pela participação ativa entre poder  público e sociedade. Em nosso governo, iremos atuar com foco nos eixos de  sustentabilidade, integração entre o meio urbano e o rural e buscar dar oportunidades  para a criação de novas empresas, com foco no empreendedorismo, apoio às  incubadoras e incremento a atividades como turismo, sistema educacional, comércio e  serviços e agropecuária. Somente com uma ação conjunta e muita integração e  diálogo, poderemos recuperar o estágio que a crise gerada pela pandemia nos tirou. 

 

2. Atentos ao atual contexto, quais as ações imediatas serão tomadas para  reduzir os impactos da pandemia, focando principalmente na retomada  econômica e na geração de empregos? 

Para qualquer tomada de ação, é necessário um diagnóstico inicial que deverá ser feito  no início do mandato. Após uma avaliação da real situação da economia municipal e  regional, poderemos focar nos projetos para a retomada do crescimento em Viçosa. 

Uma das prioridades é o foco na criação e manutenção das micro e pequenas  empresas. Sugerir melhorias na aplicação da Lei Nº 1925/2008 que institui a Lei Geral  Municipal da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte em Viçosa é uma delas,  aliado à avaliação da possibilidade de criação de sistemas de microcrédito para os  empreendedores. Promover o município em feiras e eventos locais, regionais e  nacionais, destacando os seus pontos fortes (educação, qualidade de vida, localização  estratégica entre outros), também será um foco de nossa gestão. 

 

3. Qual a sua posição com relação ao último Plano Diretor apresentado à câmara  Municipal e ao que está sendo elaborado? 

A reprovação do Plano Diretor se fez necessária para que haja um planejamento mais  detalhado sobre alguns pontos. Não que o trabalho realizado tenha sido perdido, mas  é importante destacar que, com base neste projeto reprovado pelo legislativo,  podemos elaborar um plano mais aprofundado em algumas áreas para aplicar, com  urgência, um planejamento sustentável no tripé econômico, ambiental e social. 

Em minha gestão, pretendo reunir representantes de vários setores da sociedade, sob  forma de comissão, para discutir, com base na última proposta, um novo modelo de  plano diretor para Viçosa. É fundamental discutir um projeto de desenvolvimento  urbano que comporte o crescimento da região central do município com as  necessidades dos bairros.  

Alguns pontos a serem revistos e ampliados são critérios de zoneamento, prevendo  áreas destinadas a moradias populares, com garantia de acesso aos locais de trabalho,  serviço e lazer, e um estudo mais detalhado de impacto de vizinhança. Vale lembrar que todas as modificações e acréscimos devem ter um olhar para o desenvolvimento  urbano, mas sempre ao lado da proteção ambiental. 

 

4. Para você, como é possível equilibrar os três pilares do desenvolvimento  sustentável: Social, econômico e ambiental?

O equilíbrio é fundamental e não há planejamento eficiente sem esta coexistência. A  crise gerada pela pandemia trouxe um olhar diferente para os administradores  públicos. Hoje, temos a certeza de que para sair da crise, precisamos incentivar o  crescimento das empresas e comércio local, mas, ao mesmo tempo, termos um olhar  diferenciado para a parcela mais pobre da população.  

Programas de geração de emprego e renda, cursos profissionalizantes, projetos como  o jovem aprendiz e parcerias com nossas instituições de ensino públicas e privadas  serão fundamentais nesta retomada. Vamos recuperar a economia da cidade de forma  democrática e ampla, para que todas as regiões e parcelas da população sejam  atendidas e contempladas. 

Tudo isso sem nos esquecermos da sustentabilidade ambiental, tema que será  determinante neste tripé em nossas discussões sobre o plano diretor. O mais  importante é que todas as decisões serão tomadas com a participação de  representantes de nossa comunidade, através da formação de conselhos consultivos e  reuniões com seus representantes. 

 

5. Todos sabemos que os problemas com a saúde (em sua grande maioria), estão  ligados à falta de saneamento básico e esgoto. Nesse sentido, qual o plano  para que tenhamos uma cidade com esses direitos resolvidos, melhorando a  saúde para nossa população? 

O objetivo é e sempre será garantir o adequado abastecimento de água, esgoto sanitário, manejo de resíduos sólidos e drenagem de águas pluviais urbanas para cem  por cento do município de Viçosa. Para conhecer a realidade em nosso município,  iremos revisar/atualizar o Plano Municipal de Saneamento Básico de forma participativa, ou seja, sociedade e poder público caminhando juntos para efetivamente  resolver estes problemas em nossa área rural e urbana. 

De um modo geral, iremos propor a limpeza e manutenção de córregos e rios, ruas e  avenidas, parques, praças. Para o meio rural, pretendemos implementar um programa  de saneamento rural envolvendo a construção de fossas mais adequadas às  residências isoladas e de um sistema de esgotamento coletivo para localidades com  maior aglomerado de casas, além da limpeza e manutenção das fossas existentes. 

Para a área urbana, ampliar e aperfeiçoar o sistema de coleta, tratamento e destinação  final de resíduos sólidos, com especial atenção para o fortalecimento da coleta seletiva  em todo o município, incluindo a área rural. 

Tudo isso sem nos esquecermos que saneamento e prevenção andam lado a lado.  Aumentar os investimentos em atenção básica, na prevenção e diagnóstico das  doenças e melhorias nos PSFs e hospitais pode ajudar a evitar o potencial de 

disseminação de doenças como a dengue, uma epidemia que o país ainda não  conseguiu superar, e doenças causadas por parasitas e bactérias, questões que  possuem relação direta com as condições sociais e sanitárias da população. 

 

6. Viçosa como uma cidade polo na região e, agora fortalecida com os cursos na  área de saúde, qual o plano de governo para que o nosso município se torne  referência na área de saúde? 

Uma cidade com Viçosa é repleta de aptidões e a saúde é uma delas. Em tempos de  crise, a palavra parceria será frequente em meu gabinete. Por isso, pretendo atuar em  parceria com os hospitais do município para tentarmos juntos sanar as demandas de  saúde em Viçosa e buscar parcerias com hospitais de referência da região, como por  exemplo o Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella, trazendo  assim que possível as campanhas de prevenção da instituição aqui no município.  

Isso sem descartar a sempre importante parceria com as instituições de ensino  municipais estaduais, federais e da rede privada de Viçosa. Juntos, poderemos criar um  calendário de campanhas educativas, mutirões e traçar metas para que a saúde,  especialmente na atenção primária, onde está a maior demanda, seja suprida para  todos. 

 

7. Viçosa é uma cidade reconhecida por ser uma referência em educação e  ensino. Diante desse contexto, quais os planos para minimizar os impactos  causados pela pandemia que trouxe mudanças significativas ao sistema de  ensino? 

Toda medida que trata sobre os reflexos da pandemia e a volta das atividades normais  precisa ser olhada sobre dois pontos: o da necessidade do setor na retomada e o da  segurança sanitária para todos os envolvidos.  

Assim, pretendo estar cercado de especialistas em saúde e também dos sistemas de  ensino público e privado, seja do nível básico, fundamental, médio ou superior. Assim,  poderemos trocar experiências, avaliar o que deu ou não deu certo no período de  atividades à distância, como foi a volta às atividades em outras localidades e traçar um  cronograma que garanta a segurança dos profissionais, alunos, pais e familiares e,  claro, de toda a comunidade.  

A palavra central para nortear nossas decisões será o bom senso. Em casos  excepcionais como estes, precisamos saber olhar para todos os lados e entender cada  necessidade antes de decidir. 

 

8. Quais as propostas voltadas para a profissionalização de jovens para que eles  tenham mais oportunidades de emprego em nossa cidade? 

Aproximar nossos jovens, principalmente os que têm menos oportunidades, dos  principais polos de educação de Viçosa, será uma meta importante. Além disso, quero  fortalecer programas como o jovem aprendiz e iniciativas de apoio ao primeiro  emprego para ensinar novos ofícios aos adolescentes. 

Comentários

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *


2021 © Casa do Empresário de Viçosa | Desenvolvido por: Interminas