Empresários se unem em manifestação em prol da abertura do comércio

Empresários e funcionários do comércio de Viçosa se reuniram na tarde desta segunda-feira, 12, em um ato pacífico, organizado em conjunto com a Casa do Empresário. O movimento que teve início em frente à Câmara Municipal de Viçosa seguiu até Prefeitura, e teve como objetivo pedir a retomada das atividades comerciais na cidade. 

A manifestação ocorreu de forma organizada, obedecendo a todas as medidas de prevenção à covid -19 e contou com a adesão de grande parte das empresas do município. Em direção a prefeitura, os presentes carregavam cartazes de protesto e   entoaram frases como “Queremos trabalhar”, ressaltando que é injusto o funcionamento apenas de parte do comércio e que todas as atividades são essenciais. 

Após a chegada à sede do poder público, o setor solicitou a presença do prefeito para ouvir as reivindicações apontadas. Alguns proprietários de setores, como bares, restaurantes, academias e confecções, usaram o carro de som para expor o descontentamento mediante a decisão de fechamento do comércio. 

Os vereadores Sergio Augusto Marota, Cristiano Gonçalves e Vanja Albino, também participaram do ato e apoiaram o setor. Em sua declaração. Sergio ressalta que todo o trabalho que leva o sustento de uma família deve ser considerado essencial. Cristiano também se pronunciou e disse que é preciso que o prefeito pressione o governo estadual e que é preciso buscar alternativas e mudanças no cenário atual. 

Reunião com o poder público 

Após manifestação, o presidente da Casa do Empresário, Julismar Marques e representantes dos setores considerados “não essenciais” participaram de uma reunião onde estava presente o prefeito de Viçosa, Raimundo Nonato, e demais representantes da prefeitura.

Durante o encontro, foi colocado pelos comerciantes o fato de que apenas uma parcela dos estabelecimentos está sofrendo com as medidas restritivas, que não são aplicadas de forma igualitária. Destacou-se ainda, o fato de que todos os comércios se adequaram as medidas estabelecidas pela vigilância, podendo, portanto, atender de forma segura seus clientes.

Evidenciaram também a situação atípica de Viçosa em relação às demais, visto que, o comércio, que em parte depende economicamente da UFV, já sofre com a saída dos estudantes da cidade após cancelamento das aulas. Devido a este fator, propuseram a saída do município do programa Minas Consciente e a criação de um protocolo específico que respeite as medidas de segurança, mas que possa garantir o funcionamento completo do comércio.

Os representantes públicos ressaltaram que a Onda Roxa é impositiva, impossibilitando que haja mudanças até o fim do decreto estadual. Entretanto, alegaram estarem confiantes da regressão do município para a Onda Vermelha, decisão que será tomada após reunião do Minas Consciente na quarta-feira, dia 14 de abril.

Após as colocações foi acordado a criação de um protocolo, que será divulgado pela Casa do Empresário, com intenções a serem adotadas nos próximos dias. Além disso, foi cobrado que o órgão municipal pressione os deputados estaduais para que intervenham junto ao governador em relação ao protocolo adotado 

 

Comentários

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *


2021 © Casa do Empresário de Viçosa | Desenvolvido por: Interminas